• i-PSI

Deixe a procrastinação para depois


Todo mundo alguma vez já deixou tarefas importantes para depois e, ao invés delas, se ocupou com atividades menos urgentes e mais prazerosas.


Dá-se o nome de “procrastinação” ao ato de deliberadamente adiar o cumprimento de uma tarefa. Para um comportamento ser considerado procrastinação, ele deve ser contraprodutivo e gerar atraso em coisas mais importantes.


E por que procrastinamos? É comum que se pense que procrastinação tem a ver com preguiça, problemas em administrar o tempo ou dificuldades com o autocontrole. Na verdade, procrastinar tem a ver com emoções.


Compreendendo o cérebro do procrastinador


Quando você está procrastinando, o seu cérebro é o cenário de uma batalha que está sendo travada entre o sistema límbico (onde ocorrem os processos inconscientes e onde estão localizados os centros de prazer) e o córtex pré-frontal (lugar dos processos conscientes, responsável pela tomada de decisões).


É, portanto, uma luta entre um sistema voltado a evitar situações não prazerosas (o límbico) e um outro que insiste na necessidade de realizá-las (o pré-frontal). Se o primeiro ganhar a disputa, isso irá resultar na procrastinação.


Além disso, nos cérebros dos procrastinadores, a amígdala, que é uma estrutura que faz parte do sistema límbico, é maior. Responsável por detectar ameaças, ela é acionada em potenciais momentos de estresse, como diante de uma tarefa que nos deixa ansiosos e inseguros. Como a amígdala dos procrastinadores é maior, ela reage mais fortemente a situações como se estas fossem ameaças, na previsão de um desconforto maior.


Procrastinação e impulsividade


Sempre que emoções negativas estão relacionadas a alguma atividade, o procrastinador irá buscar de forma impulsiva distrações que o desviem de tais sentimentos desagradáveis. Desse modo, existe uma relação direta entre procrastinar e agir impulsivamente.


Sempre existem muitos fatores que podem fazer com que associemos uma determinada tarefa a sensações negativas: sua obrigatoriedade, os níveis de esforço, concentração e tempo exigidos, a cobrança por resultados, uma recompensa não muito atraente... Disciplinar o impulso de buscar distrações e conservar o foco preso a algo que representa preocupação e desgaste é uma receita cuja dificuldade explica porque procrastinamos.


Efeitos da procrastinação


Procrastinar pode ser muito prejudicial quando começa a impedir o funcionamento de rotinas profissionais ou mesmo pessoais. Aquela pessoa que sempre atrasa 20 minutos para as reuniões familiares ou de trabalho, aquele aluno que demorou muito mais tempo para entregar o trabalho final, o amigo que inicia vários cursos e não termina nenhum, muito provavelmente apresentem o perfil de um procrastinador.

Isso quase sempre resulta em maior estresse, frustração, baixa autoestima, sensação de culpa, queda na produtividade e sentimento de vergonha por não conseguir cumprir com as suas responsabilidades e compromissos.


Procrastinando a procrastinação


A boa notícia é que você não é obrigado a assistir passivamente à luta no interior do seu cérebro. Nessas horas, existem alguns truques que podem ajudar o córtex pré-frontal a derrotar o sistema límbico:



• Não acredite que você precisa estar bem ou inspirado para iniciar a tarefa à qual se propôs. Isso é uma grande armadilha que pode levá-lo justamente à procrastinação


• Antes de iniciar, tire de perto tudo que você achar que poderá distrai-lo


• Defina prazos


• Comece o dia com a tarefa mais difícil


• Estabeleça um horário e um tempo para focar na tarefa e respeite essa rotina, independentemente de como esteja o seu humor no dia


• Trabalhe na tarefa mais importante por 15 minutos


• Divida a tarefa em pequenos blocos. Completar uma pequena parte ajuda a dar uma sensação de realização que funciona como combustível para o passo seguinte


• Faça pequenos intervalos


• Dê-se um presente, permita-se um agrado a cada etapa finalizada


• Motive-se: fale consigo mesmo. Falar consigo mesmo é uma ótima forma de se acalmar, aumentar a concentração e atingir seus objetivos


• Foque em terminar a tarefa e não em fazer um trabalho excepcional. Lembre-se que perfeccionistas são grandes procrastinadores.


• Prometa-se que vai se recompensar quando terminar todo o trabalho proposto


E assim, desejo a você que tenha um excelente e produtivo 2020, sem desculpas para não cumprir as suas metas de ano novo, sejam elas quais forem!



Jéssica Kuhn


#psicanálise #procrastinação #metasdeanonovo #produtividade #dicas

28 visualizações